barras-lateral-amarelo
barras-lateral-verde

Aprenda como a educação financeira pode ajudar a fugir das dívidas

imagem5Para algumas pessoas, a educação financeira não passa de uma forma de se aprender a economizar e a deixar de gastar com supérfluos ou simplesmente fazer controle rigoroso das finanças para manter-se afastado de dívidas. Um pouco disso até faz sentido, mas não é essa a essência.

Com a educação financeira, que serve para qualquer idade, a pessoa aprende a adquirir hábitos financeiros para poder conquistar melhores condições de vida.

O foco não deve ser somente a busca por conhecimento ou perseguição das riquezas, mas na melhoria de atitudes e posturas que ajudem a fazer o dinheiro render mais, para que se tenha mais tranquilidade, segurança e conforto.

De olho nas atitudes
Algumas atitudes podem refletir a educação financeira, como pesquisar preços, pedir descontos, comparar produtos e serviços, pagar à vista, controlar as despesas, evitar desperdícios e manter as dívidas sob controle.

Além disso, é importante conhecer os direitos do consumidor, pensar no futuro, manter reservas financeiras para emergências ou oportunidades, fazer investimentos compatíveis com os sonhos, preservar bens e buscar a valorização do patrimônio.

Evitar compras por impulso, antecipar-se às armadilhas do comércio, resistir às tentações do crédito fácil, exigir nota fiscal, informar-se sobre condições contratuais, levantar dados sobre prestadores de serviços e guardar termos de garantia são atitudes simples que, quando adotadas por rotina, podem resultar em economias e ganhos financeiros relevantes.

O consumo consciente e responsável ajuda a proporcionar prazeres no presente e a viabilizar a segurança financeira para o futuro. É importante saber dosar adequadamente o quanto deve ser gasto no consumo diário e o quanto deve ser poupado e investido para o futuro, proporcionando equilíbrio entre essas duas necessidades.

Fonte: http://www.serasaconsumidor.com.br

Deixe um comentário

aposentacao educar